Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais

Concurso premia práticas sustentáveis no Judiciário

Comarcas de Araguari, Pedra Azul e Belo Horizonte foram selecionadas


- Atualizado em

Iniciativas que podem diminuir o consumo de recursos e engajamento das equipes em prol do meio ambiente são alguns dos frutos do concurso “Gente Que Faz – Ideias Sustentáveis”, promovido pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), por meio do seu Núcleo Socioambiental, em comemoração pela Semana do Servidor. As propostas vencedoras foram anunciadas nesta segunda, 23 de outubro, em cerimônia que também homenageou os profissionais que completaram 30 anos de serviço no TJMG. Veja notícia.

A premiação reconheceu ações de funcionários da justiça estadual que, incorporadas às rotinas diárias, contribuem para o desenvolvimento da responsabilidade ambiental, evitam o desperdício e favorecem a sustentabilidade. A ideia é que a visibilidade dada com a distinção permita que outras localidades repliquem os bons resultados e assim a cultura sustentável se espalhará pelo estado.

A adoção de medidas que busquem uma vida saudável e equilibrada para a população atual e as gerações futuras é uma das metas do Planejamento Estratégico do TJMG e uma exigência para todas as cortes do país desde a edição da Resolução 201/2015 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A norma determinou que todos os tribunais elaborem um Plano de Logística Sustentável (PLS).

Ganho para a instituição

O presidente do TJMG, desembargador Herbert Carneiro, declarou, ao saudar os ganhadores, que a sustentabilidade conclama a pessoa a olhar para dentro e para fora de si: "Olhar para dentro para podermos enxergar, repensar e não ter medo de mudar conceitos, hábitos, postura e atitudes. E olhar para fora para efetivamente ver o mundo que nos cerca e precisa ser preservado; ver o que precisa ser feito e o que precisa deixar de ocorrer para cessar o acelerado processo de degradação ambiental que vem ocorrendo ao longo dos anos."

O presidente frisou que a consciência sustentável é uma exigência para o dia a dia de nossas vidas, especialmente no ambiente de trabalho, "onde passamos grande parte de nosso tempo e onde nossas atitudes podem fazer toda a diferença", ponderou.

"Por isso, considero importante a iniciativa do Núcleo Socioambiental do Tribunal de Justiça de  reconhecer, divulgar e replicar ideias e ações que contribuem para a preservação ambiental. Parabenizo a todos os vencedores não somente pelas suas atitudes propriamente ditas – que, por si só, já seriam e são dignas de toda homenagem –, mas, sobretudo, pelo grande exemplo que dão e pelo bem que inspiram. Esse ganho se reflete em toda instituição, como também nesse mundo de que temos por obrigação cuidar e preservar", afirmou.

Premiação

Na categoria “Servidor Consciente”, foram escolhidas pessoas que, de forma espontânea, praticam a sustentabilidade cotidianamente. Alguns desses ganhadores foram indicados por colegas, o que comprova o papel deles de exemplos para a equipe. Eles foram o assessor de precatórios Tiago Nogueira Starling (1° lugar); a oficial judiciário Valdinea Aparecida Perpétuo (2° lugar) e a oficiala de apoio judicial Elenice Mundim Oliveira Silva (3° lugar).

Na categoria “Inovação Sustentável”, foram eleitas ideias coletivas para promover um ambiente mais sustentável. Os vencedores são a Comarca de Pedra Azul, com o projeto “Tecnologia em prol da economia dos insumos de impressão” (1° lugar); e a Comarca de Belo Horizonte, com duas iniciativas. O grupo que conquistou o 2° e o 3º lugares sugere novas atribuições para o oficial de justiça por meio da criação da Central de Mandados Virtual.

Motivação

primeiro-lugar-pedra-azul.jpg
O juiz Rêidric Condé da Comarca de Pedra Azul , com parte de sua equipe, recebe diploma das mãos do presidente Herbert Carneiro

O representante do 1º lugar, na categoria grupo, o juiz da Comarca de Pedra Azul, Rêidric Victor da Silveira Condé, disse que quando iniciou o Plano de Gestão Estratégica na Comarca, um dos objetivos era a redução do uso de papel e tinta. Segundo ele, como a equipe já possuía bons hábitos de sustentabilidade, a obtenção de resultados exigiu ideias novas e a participação de todos da unidade jurisdicional.

Além da redução do impacto ambiental, o magistrado disse que adotou essas práticas pensando na possibilidade de fácil replicação nas demais unidades do TJMG, a custo zero, visando agilizar a prestação jurisdicional.

Thiago.jpg
Thiago Starling levou o 1º lugar na categoria individual

Para Tiago Nogueira Starling, 1º lugar na categoria individual, o reconhecimento é a prova de que o trabalho intersetorial, a sinergia entre colegas de tribunal, a busca do objetivo estratégico organizacional, o alinhamento estratégico, dão bons resultados.

“Há muitos heróis e vencedores no TJMG, que se doam e se reinventam para realizar a melhor prestação jurisdicional, mesmo diante de todas as dificuldades que conhecemos, porque são verdadeiros servidores, no sentido mais literal da palavra”, destaca Tiago.

Tiago Starling disse que são tantos os personagens que viabilizaram esse projeto, que ele não conseguiria citar todos.  Mas deixou seus especiais agradecimentos à Alessandra Cândido, da Assessoria de Precatórios,  ao juiz da Central de Precatórios, Christian Garrido Higuchi, que chancelou o envio do projeto ao concurso, o que, para Tiago, é  mais importante do que a premiação em si. Agradeceu, também, ao TJMG, por ter lhe proporcionado amplos estudos na área de gestão.

Valdin_ia-homenageada.jpg
Valdinea Perpétuo, da Central de Logradouros, foi premiada em três categorias

A servidora, lotada na Central de Logradouros (Celog) do Fórum Lafayette, Valdinea Aparecida Perpétuo, condecorada com o 2º lugar na categoria individual e o 2º e o 3º lugares nas categorias de grupo de Belo Horizonte, se disse muito satisfeita por ter oportunidade de dar sua contribuição com atitudes sustentáveis em seu ambiente de trabalho.

Valdinea Perpétuo percebia que, no seu local de trabalho, o descarte de papel não era feito de maneira correta, sustentável. Pensando em uma solução para evitar esse desperdício e no uso consciente do lixo, ela resolveu "fazer sua parte" e desenvolver projetos pensando na preservação do meio ambiente e na economia de forma sustentável.

Valdinea declara acreditar que, se cada um fizer a sua parte, por menor que seja, já irá contribuir para deixar esse mundo melhor. Ela também acha que trabalhando melhor a divulgação dessas campanhas de sustentabilidade, seguindo normas pré-estabelecidas e promovendo a integração entre os setores, teremos resultados mais eficazes.

Assessoria de Comunicação Institucional - Ascom
Tribunal de Justiça de Minas Gerais - TJMG
(31) 3306-3920

imprensa@tjmg.jus.br
facebook.com/TJMGoficial/
twitter.com/tjmgoficial
flickr.com/tjmg_oficial